Projeto de moradia enviado pelo executivo causa tumulto na câmara de vereadores de Petrolina

Vereadores da situação reconhecem competência do Minha casa, Minha vida dos governos Lula e Dilma mais se dizem insultados com as criticas da oposição.

Na sessão ordinária desta quinta – feira (23), na casa Plínio Amorim, fora colocada em pauta dois projetos do executivo. Um diz respeito a alienação de 461 lotes para moradias populares do Minha casa, Minha vida e o outro sobre a gratificação de R$ 300. 00 de incentivo a leitura para professores do município de Petrolina – Sertão de Pernambuco.

Vereadores de oposição como Paulo Valgueiro (MDB), Gilmar Santos (PT) e o substituto de Cristina Costa (afastada por conta do pleito de deputada estadual pelo PT), sargento Orácio (PMN), fizeram contra pontos e segundo eles, os projetos do executivo tinham um caráter oportunista por se tratar de um período eleitoral mas que todos iriam votar a favor dos projetos, especialmente o de moradias populares por se tratar de beneficioso população pobre.

O vereador Gilmar Santos destaca a importância da continuidade do programa Minha casa, Minha vida para Petrolina, uma vez  que na gestão ex prefeito Júlio Lóssio – através do governo Dilma, foram construídas aproximadamente 15 mil unidades do Minha casa, Minha vida e que só em 2015 foram investidos 23 bilhões no programa, enquanto que o governo de Michel Temer investiu apenas 3 bilhões, portanto houve um corte de mais de 20 bilhões no programa, E que destituíram uma presidenta honesta, digna e isso deveria envergonhar todos os presentes principalmente porque apoiam aqueles que lutaram para derruba – la como o senador FBC, o deputado federal Fernando Filho e o deputado feral Gonzaga Patriota. Afirma ele.

Vereadores da situação como, Minoel da Acosap (PTB), Osinaldo Souza (PTB), Aero Cruz (PSB), Maria Helena (PSB), Ronaldo Cancão (PTB) e Zenildo do Auto do Cocar (PSB), se justificaram reconhecendo a competência do programa Minha casa, Minha vida dos governos Lula e Dilma e afirmam não haver concordado com o impeachment da ex presidenta Dilma pois eram de acordo com a conclusão de seu mandato. ” (…) era melhor esperar a conclusão de seu mando, porque a peça acusatória era vaga. Mais se o congresso que tava perto resolveu cassar, quem  sou eu, um vereador de Petrolina que tou tão distante?” Afirma Osinaldo Souza.

Entre contra pontos e troca de farpas dos enveradores da oposição e da situação o vereador Ronaldo Cancão disse ter sido  ofendido por ter sido chamado de golpista e que queria direito de resposta mas devido o presidente da casa Osório Siqueira ter encerrado o tempo de fala para  encaminhar a votação dos projetos, o vereador Ronaldo Cancão tumultuou a sessão quando teve seu microfone desligado. E se voltando para o presidente da casa afirmou está sendo desrespeitado pelo mesmo.

Mesmo com o tumulto os projetos foram aprovados por 16 votos com a abstenção do vereador Ronaldo Cancão que furioso e esbravejando deixou a sessão a qual foi encerrada logo em seguida.

Na sessão ainda foi apresentada  a sanção da Lei de nº 113/2018 de autoria do vereador Gilberto Melo que denomina o prédio público localizado na Ilha do Massangano como PSF José Amâncio de Freitas (Sr. Zuquinha) um dos antigos moradores da localidade.

Teve ainda o anuncio do financiamento estudantil do FIES que também será disponibilizado pelo Banco do Nordeste.