Intervenção militar: violação de direitos e assassinatos

Desde a madrugada de sábado para domingo o Complexo do Alemão está invadido pelo exército. E enfatizo invasão, pois é o que de fato ocorre, uma vez que os moradores têm suas casas invadidas, pertences roubados, entes assassinados.

Créditos -EFE/Antonio Lacerda

Os relatos que temos visto são de muitas violações, desde os militares comer alimentos em forma de roubo, pois não foram convidados a se alimentarem e mesmo assim o fazem, até atirar e matar outras pessoas na frente de crianças. Desde domingo xs moradores não sabem o que é ter sossego, o que é dormir tranquilamente e as crianças não vão à escola.

Realidade esta que se estende à Mare e Manguinhos, onde mais violações ocorrem sob o argumento de guerra às drogas; não existe guerra, mas sim extermínio da população negra e favelada. Não se pode falar de segurança pública, porque chegam para matar, chegam atirando e o exército e a polícia não são para matar, mas sim para defender nossas vidas. Mas já sabemos quais são as vidas que defendem: dos brancos da Zona sul.

Como disse uma amiga: “Se eu não entendesse o racismo, me perguntaria: que Brasil este que não se mexe com o extermínio dos seus?!”

A favela sangra, as mães choram, as crianças não vão às escolas e nossos jovens estão sendo assassinados. Precisamos urgentemente mudar tudo isso, precisamos viver tranquilamente.

Guerra aos senhores!!!!