Ato #Ele Não, reúne dezenas de mulheres na praça do bambuzinho – Centro de Petrolina

Creditos: Lizandra Martins

Neste sábado (29), no município de Petrolina – Sertão de Pernambuco, dezenas de mulheres realizaram ato contra o candidato a presidente da República Jair Bolsonaro. A mobilização feminista é um ato de repúdio as afirmações machistas e preconceituosas do candidato Jair Bolsonaro contra mulheres, homo sexuais, índios, negros, e pobres.

Creditos: Lizandra Martins

Capitão do Exercito reformado, o presidenciável Jair Bolsonaro, candidato pelo partido PSL- Partido Social Liberal – tem se mantido como um dos candidatos com preferências eleitorais  por suas afirmações preconceituosas, geradas pelo oportunismo diante do medo e o ódio de classes, o que tem o sustentado, mesmo estando se recuperando de um atentado contra sua vida no dia 06 de setembro deste. Jair Bolsonaro é visto pelos seus simpatizantes como o presidente que vai restaurar a ordem e a moral no país.

O candidato em questão não tem apresentado plano de governo e nenhuma cerimônia em mostrar sua incapacidade de governar um pais tão plural e complexo em questões econômicas, sociais e política quanto o Brasil. Sendo um dos parlamentares mais votados no Brasil e com sete mandatos como deputado Federal do Rio de Janeiro, dos 166 projetos apresentados durante sua vida política apenas dois foram aprovados: um que garante a distribuição gratuita da pílula contra-cancer – a fosfoetanolamina sintética – ainda sem reconhecimento de sua eficácia, e um PL  que estendeu a isenção fiscal para produtos de informáticas, no caso, nenhum projeto relacionado a segurança pública.

Mas se utilizando da imagem de candidato honesto e linha dura, defende uma bandeira extrema e conservadora de “combate a violência e proteção das famílias”. O que tem nutrido e evidenciado pelas classes sociais o verdadeiro preconceito e ódio revelando a dimensão do apartheid social brasileiro.

Diante do retrocesso vivido no dois anos do governo Temer, com a retiradas de direitos, aumento do desemprego e das violências contra povos tradicionais, mulheres e homossexuais, resta ao povo protestar através o seu voto e escolher candidatos compromissados com todas estas causas para reverter a atual situação do país.

Creditos: Lizandra Martins

O protagonismo feminino tem um papel importantíssimo nesse processo, pois não se deve permitir tamanhos retrocessos diante de lutas  já travadas e árduas conquistas obtidas através das milhares de vítimas das violências, especialmente as mulheres!

O #Ele Não, é o repúdio a tudo que esse candidato diz defender e se faz representar enquanto concorre  ao cargo mais importante do país. Basta um olhar para passado de perseguições, censuras, violências e mortes que tentaram apagar da memória das vítimas e da história do Brasil. A maioria dos brasileiros e brasileiras jamais aceitarão tal retrocesso. Mas é preciso erguer a sua voz e fazer valer o voto.

As manifestações do dia de hoje também aconteceram em várias cidades brasileiras e mobilizaram centenas de mulheres e simpatizantes que repudiam a atitude de grupos que pregam o ódio e o fascismo agregados a campanha de Jair Bolsonaro.

Atualizado 29 de setembro 2018