Lagoinha, Comunidade Quilombola de Casa Nova (Ba), sedia Fórum de Igualdade Racial

A comunidade quilombola Sitio da Lagoinha, primeira a ser certificada pela Fundação Cultural Palmares no município de Casa Nova (Ba), localizada a 600 km de Salvador, sediou, no dia 18 de novembro, o I Fórum de Igualdade Racial do município, com a participação de grande parte de seus 90 associados e muitos parceiros.

IFoto: Marcia Guena e Leonardo

O evento foi um grande passo para a construção de políticas públicas para a população negra, em particular para as comunidades quilombolas, de fundo e fecho de pasto. Três grupos de trabalho discutiram os temas educação e saúde; juventude. e diversidade. As propostas serão encaminhadas para a prefeitura.

Além de muita discussão, foi um encontro regado a emoção: a ancestralidade da comunidade emana de suas famílias que transmitem força e perseverança para todos. Em particular a matriarca, dona Rita, que tem a luta nos olhos e deixou essa herança para seu filho, José Henrique Souza, presidente da associação. Muitos outros nomes que conduzem o trabalho ali: Ricardo, Zemar Silva, Cláudio Melancia, Lameu…. a lista é grande. Ao final, uma roda de São Gonçalo alegrou e iluminou o evento.

As atividades aconteceram durante todo o dia e contaram com a presença de vários parceiros: a Secretária de Ação Social de Casa Nova, Maria da Silva Dias; Cláudio Melancia, representando a Secretaria de Cultura e uma representante da secretaria de Educação; além de representantes de outros órgãos.

Ainda estiveram presentes a diretora de Diversidade da Prefeitura Municipal de Juazeiro, Luana Luana Pereira Rodrigues; as professoras Márcia Guena e Ceres Santos, representando a Universidade do Estado da Bahia e o Conselho de Promoção da Igualdade Racial de Juazeiro; Danilo Moreira, representando o Movimento Antiracista do Vale do São Francisco; Valéria, pelo Coletivo de Assessoria Popular Luiz Gama, projeto de extensão da UNEB; e o presidente da Associação Quilombola do Alagadiço, Gregório Santos.

 

 

Foto: Marcia Guena e Leonardo

Por Marcia Guena via facebook