“Nos oito pés a quadrão”. Cordel de Graciele Castro

 

14 de março dia do nascimento do poeta Castro Alves

Nos oito pés a quadrão

Bulinar com o lugar
Me faz artista e sonhar
Papel caneta a pegar
Descrevo inspiração
Belezas do meu sertão
No calor arretado
Meu sotaque arrastado
Nos oito pés a quadrão.

Desafio moça e moço
Na oitava ter esboço
Sem intervalo pra almoço
Pegue pandeiro, violão
Cante pro meu sertão
Recite a prosa legal
Pro olhar especial
Nos oito pés a quadrão.

Na serra puxe o fole
Poeta sem corpo mole
Prose, no verso que bole
Mexa com a escuridão
O juízo tá no chão
Aqui alegria tá irriba
Dor, todo mundo driba
Nos oito pés a quadrão.

A visto todo o arrebol
Vejo campo de futebol
Em mente vejo o farol
Sigo minha intuição
Homenagem ao sertão
Não dou ponto sem nó
Poeta recita no gogó
Nos oito pés a quadrão.

Autoria:
Graciele Castro

Petrolina/Pe