Mostra de Música Pankararu reconecta povo indígena e cria espaço de pesquisa para musicalidade brasileira

Idealizada pelo artista indígena Gean Ramos em parceria com a Associação Ayó Conexões, a primeira Mostra de Música Pankararu, aconteceu no Sítio Bem Querer de Cima no povoado de Jatobá – sertão pernambucano.

Realizada nos dias 06, 07 e 08 de março, a mostra contou com uma programação  que versou da produção artística musical á produção artística através da dança. E ainda: trilha nas serras Pankararus, plantio de mudas de umbuzeiro, cantos e rituais, oficinas de dança e rodas de conversas – com abordagem de temas como – gênero e sexualidade, relações sociais, espiritualidade, política e educação indígena. As rodas de conversas foram conduzidas por profissionais indígenas das áreas de saúde, educação e pesquisa.

Segundo Gean Ramos, a primeira mostra de música Pankararu, consiste na troca de conhecimentos e saberes, agregadas a produção artística musical, realizada dentro e fora da comunidade indígena. E tem como objetivo principal, a divulgação da música Pankararu,  suas especificidades, a valorização e respeito de sua cultura e seus espaços de convivência, bem como, o espaço de convivência do outro.

O evento contou com a participação de artistas como: Juliano Holanda, Isabela Morais, Gean Ramos, Pedro Lucas e Ana Luisa, Camila Yasmine, Anastácia e Sonia Guimarães,  grupo de dança do SESC/Petrolina – sobre direção de Jailson Lima, e caravanas de estudantes de arte e música.

Em depoimentos, estudantes e professores do Curso de Licenciatura em Música do IF Sertão/PE Campus Petrolina,  falaram sobre a experiência e o aprendizado obtidos através do encontro artístico cultural Pankararu.

De acordo com aluno de Licenciatura em Música, Alan – a experiência obtida através da mostra de música Pancararu é de suma importância para a formação profissional dele em quanto professor de música e arte educador, e afirma:

“… Essa troca de experiências dos povos indígenas para conosco, povos não indígenas é de suma relevância devido o nosso aprendizado em quanto pessoa, (…) essa conexão e reencontro consigo mesmo e com a natureza. A gente percebe que a música não é feita só por instrumentos mecanizados, mas sim: a natureza nos traz um som! Um som diferente, um som gostoso, um som natural, um som de reencontro, um som de meditação!  Essa amostra serviu para nos mostrar que a educação vai muito além da sala de aula… Agente vive uma experiência mais prática.”

Estiveram presentes no evento, representantes do povo Pankararé, convidados, parceiros e colaboradores da mostra.