Estudo da USP aponta Brasil como o novo epicentro global da pandemia de coronavírus

Segundo analistas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, ligada à Universidade de São Paulo, contagem oficial de infectados e mortos realizada pelo governo brasileiro apresenta “números muito distantes da realidade”

Covas coletivas em Manaus, Amazonas, na crise do coronavírus (Foto: Reprodução)

Um informe da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, ligada à Universidade de São Paulo, assegura que o Brasil já é o novo epicentro global da pandemia do novo coronavírus, superando os Estados Unidos, que lideram os rankings de infectados e de mortos, segundo os números oficiais.

Para os analistas da universidade, a contagem oficial de infectados e mortos realizada pelo governo brasileiro apresenta “números muito distantes da realidade”.

“Os resultados atrasados, a subnotificação e a falta de informes fazem com que as autoridades tenham que lidar com números que não mostram a real situação que estamos vivendo. Estamos fazendo política somente a partir dos casos de hospitalização”, comenta o professor Domingos Alves, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto.

Segundo o informe, o número real de contagiados por covid-19 no Brasil deve estar entre 1,3 milhão e 2,1 milhões de casos – superando os Estados Unidos, que têm 1,2 milhão de casos oficiais até o momento, segundo o observatório da Universidade Johns Hopkins.

O documento da USP também acredita que os mortos pela doença no Brasil podem estar em um número próximo aos dos registros estadunidenses – que já superaram a marca de 72 mil falecidos.

No entanto, o Ministério da Saúde do Brasil reconhece apenas 125 mil infectados no total, e 8,5 mil mortes. Nas últimas 24 horas, o país atingiu dois recordes: o de 10,3 mil novos casos, e o de 614 falecimentos, em apenas um dia.

Fonte: revistaforum.com.br/